Galeria do Limoeiro

O crime de Torres Vedras
De volta à Galeria do Limoeiro, desta vez para conhecer os meandros do crime de Torres Vedras.

 

Os crimes do Bigode
Nova visita à Galeria do Limoeiro, vamos conhecer a história e os crimes do Bigode. Psicopata ou vítima das circunstâncias, mas que fez muitas vítimas

Giraldinhos ou Capoeira II-um gatuno de boas falas e bem vestido
Galeria dos criminosos célebres de Portugal que passaram pela prisão do Limoeiro em funcionamento no século XIX

 

A filicida Maria do Carmo, avarenta e ambiciosa
Mais uma história da galeria do Limoeiro, desta vez uma jovem avarenta e ambiciosa que veio a matar o seu próprio filho

A Ribeirinha-uma ladra antipática e … uma devota criatura

A Ribeirinha é mais uma criminosa descrita na Galeria dos criminosos célebres do século XIX que passaram no Limoeiro
Pelas qualidades morais mais se parecia com a cegonha!

Um ladrão educado-O filho do guarda noturno é mais um criminoso inscrito no compêndio da Galeria do Limoeiro, que passou pela cadeia do Limoeiro em funcionamento no século XIX

Mais uma história de um criminoso do século XIX que passou pelo Limoeiro, desta vez Maria Constância, infanticida.

Sobre a Galeria do Limoeiro
Histórias de criminosos da antiga cadeia do Limoeiro História do edifício O Limoeiro Palácio mandado construír por D.Fernando em 1367
Próximo da Igreja de S.Martinho demolida em 1838 daí a designação também muito usada de Paço a-par-de S.Martinho
Neste local morreu o conde Andeiro pelas mãos de Mestre de Aviz, futuro rei de Portugal D. João I, em 1383, e aí manteve residência … 1495-1521 foi residência das Comendadeiras de Santos-o-Velho e sede do Desembargo do Paço.
Começou a ser usado como prisão e outras repartições de justiça como a Casa do Cível. No século XVIII, como ameaçava ruína, teve obras de manutenção da responsabilidade do arqº Volkmar Machado …
Apenas em 1974 foi determinado o encerramento definitivo da cadeia e em 1979 o Limoeiro passa então a ter a nobre missão de formar magistrados como Centro de Estudos Judiciários e é hoje referência positiva além-fronteiras
🙂

Diogo Alves – O Pancada ficou conhecido pelo serial killer do Aqueduto das Águas Livres Entre 1836 e 1840 as tropas portuguesas entretinham-se com guerrilhas políticas enquanto a cidade vivia desesperada com a proliferação de aves de rapina de assalto à mão armada e assassinatos de pessoas pacíficas Entre 1836 e 1840 várias mortes com aparência de suicídio aconteceram no Arco Grande do Aqueduto das Águas Livres, que tem uma altura de 65m

Quem foi Maria da Conceição, ou mais conhecida no mundo do crime do século XIX pela alcunha “Mariquinhas” ? Foi uma mulher de aspeto doce e formoso, maneiras simpáticas com olhos negros, de psicologia humilde a ponto de parecer sincera, dissimulada, acompanhada de gestos e maneiras adequadas, lágrimas sempre que fosse preciso, aliás, muito úteis nos momentos mais críticos, arte que fez uso para escapar várias vezes à justiça.

Lucrécia Rosa ou A Barqueira Criminosa da Galeria dos criminosos da prisão do Limoeiro

Relato da história de um criminoso da altura conhecido pela alcunha do “Maneta” chamava-se Francisco Amigo ou talvez Emílio Amigo
Um galego desenfreado

António Joaquim da Silva foi um criminoso considerado bastante perigoso, que tinha a habilidade de se fazer passar por vítima das injustiças do mundo

PEDAÇOS DE SABER

%d bloggers like this: